quinta-feira, 28 de agosto de 2014

MST Realiza formação de promotores Agroecológicos

Durante os dias 25 a 27 de agosto de 2014, vem acontecendo no centro formação Canudos mais uma etapa de formação de promotores agroecológicos tendo como publico participante assentados de diversas áreas de assentamentos do MST e técnicos com o intuito de promover a agroecologia no estado.
Segundo o técnico agrônomo Rabanal o objetivo dessas praticas é gerar autonomia na agricultura camponesa formando assentados que estejam disponíveis para compartilhar esses saberes dentro de um processo horizontal de aprendizagem camponesa.
Essa formação vem acontecendo em diferentes módulos onde no primeiro tratou-se especificamente da homeopatia do solo, essa segunda etapa a discussão se da na questão do manejo agroecológico do solo.  A  proposta é que aconteça até Fevereiro de 2015 mais 5 módulos todos direcionados no debate da agroecologia. Outro objetivo é que essas
formações socializem, construam e fortaleçam os conhecimentos técnicos e ferramentas da agroecologia para apoiar agricultura camponesa além de incentivar o  trabalho coletivo inserindo jovens e adultos entendendo que para fazer agroecologia, é necessário amor, cuidado e sabedoria que não vão estar nos livros didáticos,  destaca Marília, engenheira florestal.Nesse sentido, o MST com sua assistência técnica espera que essas pessoas se tornem, junto a esses conhecimentos, multiplicadores agroecológicos que possam contribuir para transformar e praticar a agroecologia em seus territórios.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Acampamento Valdir Macedo Inaugura Biblioteca Comunitária



No dia 14, quinta feira, no município de Cachoeira do Itanhy, na divisa de Sergipe com a Bahia, o acampamento Valdir Macedo inaugurou a sua Biblioteca Dona Maurina. O nome é em homenagem a uma grande lutadora  que dedicou sua vida a uma educação igualitária e as lutas sociais da região.
A iniciativa surgiu das próprias famílias por entenderem a importância da leitura no processo formativo/organizativo do MST e pela grande quantidade de jovens que hoje vivem no acampamento e nas comunidades vizinhas. Essa biblioteca tem por finalidades refletir o fortalecimento da luta do MST, em especial as famílias do acampamento destaca Fior da coordenação do acampamento. A  ideia dessa iniciativa, é entender que a educação se faz presente também na luta por terra, e temos que encarar isso como prioridade e compromisso em prol da luta relata Adailton da coordenação estadual do MST.

Para comemorar a iniciativa, diversas apresentações culturais foram organizadas para o dia: um coral juvenil do acampamento, grupos de capoeira, um leilão para ajudar  na manutenção da biblioteca, um ato político com entidades parceiras do MST e um almoço coletivo compartilhado com todos os presentes.  
No final do dia foi realizado um grande forro com o grupo pé de serra imburana de cheiro que animou toda companheirada.  

sexta-feira, 25 de julho de 2014

20.000 trabalhadores rurais do MST marcham por Reforma Agrária em Aracaju


Nesta sexta-feira (25\07), cerca de 20 000 trabalhadores e trabalhadoras rurais Sem Terra  pintaram de vermelho as ruas da capital Aracaju, realizando uma gigantesca Marcha comemorando o Dia do trabalhador rural e cobrando a Reforma Agrária Popular no Brasil.
 
A 12ª Marcha estadual teve como objetivo pautar a Reforma Agrária na sociedade, denunciar o avanço do agronegócio e cobrar das autoridades a implantação de políticas públicas e investimentos que fortaleçam a agricultura familiar. Segundo Gislene Reis, da direção do MST em Sergipe, o MST também cobra do Governo do Estado agilidade no processo de aquisição de terras destinadas a assentar as mais de 10.000 famílias acampadas no estado, algumas esperando há mais de quinze anos debaixo da lona preta, como as 220 famílias do acampamento Zumbi dos Palmares, na região metropolitana do estado.

“Há onze anos que os assentados e acampados do MST, provindos de todo o estado, se unem  nesta Marcha. Este ato é um momento importante de diálogo com a sociedade”, disse Esmeraldo Leal, da direção estadual do MST. Segundo o dirigente, a Marcha tem um caráter especial neste ano de eleições: “Hoje, o povo está demonstrando na rua que ele não quer mais este Congresso nacional dominado pelo agronegócio e a bancada ruralista, mas quer um Congresso mais justo, representando os interesses da classe trabalhadora.” Neste sentido, o MST participará neste sábado (26\07), junto com vários movimentos sociais, do “curso dos 1000” visando a preparar a campanha pelo Plebiscito popular a favor de uma Reforma Política.


A mobilização  iniciou entorno das 10 horas num trecho da BR 101 situado a dez quilômetros do centro da capital. Gritando palavras de ordem e cantando músicas populares, os manifestantes marcharam até a praça da Cruz Vermelha, onde realizaram um almoço coletivo, seguido por um ato político a favor da Reforma Agrária. João Pedro Stedile, da coordenação nacional do MST, reafirmou a necessidade de uma Reforma Agrária Popular e denunciou o agronegócio como o grande inimigo dos camponeses. O governador do estado de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB) participou ao ato e reafirmou seu apoio à Reforma Agrária. A Marcha seguiu depois até a praça General Valadão, no centro de Aracaju.

A Marcha contou com a participação de vários movimentos populares e personalidades políticas. Ao longo do percurso, a juventude do MST realizou várias intervenções chamando a atenção da população para a importância da Reforma Agrária.

4ª ENCONTRO ESTADUAL DA JUVENTUDE DO MST



 Reunidos de 22 a 24 de julho de 2014 no centro de capacitação Canudos,  jovens do MST de áreas de assentamentos e acampamentos de  Sergipe vem debatendo o papel e organicidade da juventude dentro do contexto e entendimento da Reforma Agrária popular, durante o encontro os jovens vem tendo a oportunidade de se deparar com vários temas em discussão entre eles um contexto histórico e análise de conjuntura da juventude, situação da juventude da classe trabalhadora, gênero e LGBT, agitação e propaganda na qual tem sido  trabalhada varias oficinas como batucada, grafitagem, faixas e cartazes. A proposta é que os jovens logo após o final do encontro possam no dia seguinte participar da mobilização do 25 de julho dia do trabalhador Rural onde fazemos tudo ano uma grande marchar que reúne a militância de todo o estado, e no dia 26 participaram do curso dos 1000 do plebiscito popular por uma Reforma política que terá  como palestrante João Pedro Stédile da direção nacional do MST e acontecerá na Universidade Federal de Sergipe (UFS).  

terça-feira, 15 de julho de 2014

Quarta Escola estadual de formação reforça preparação política dos militantes do MST em Sergipe


Texto escrito pelos educandos da turma "Pernambuco II"

Durante a primeira quinzena de Julho, o Movimento dos Trabalhadores rurais Sem Terra (MST) promoveu a quarta Escola estadual de formação política no Centro de Formação Canudos, situado no assentamento Moacir Wanderley, região metropolitana do estado de Sergipe. 

O objetivo da escola era formar novos militantes para desenvolver a organicidade dos acampamentos e assentamentos no estado e reforçar a preparação dos militantes para a luta contra o poder da burguesia e dos latifundiários. A turma, que contou com 60 militantes, escolheu o nome "Pernambuco II", em homenagem a um grande militante e formador do MST em Sergipe.

O evento contou com a coposição e participação de outros movimentos sociais, como Levante Popular da Juventude, ALPV e Movimento dos trabalhadores urbanos (MOTU), que contribuíram trazendo suas experiências e bandeiras de luta.

Segundo Seu Juca, um dos educandos, "a escola é muito importante para formar e unir os camponeses na luta pela Reforma Agrária."

O cronograma da escola Pernambuco II promoveu a participação dos educandos ao ato nacional a favor de um Plebiscito Popular por uma Assembleia Constituinte pela Reforma Política, que ocorreu no dia 7 de Julho no centro da capital Aracaju. Vários movimentos e sindicatos se uniram para denunciar o financiamento privado de campanha, visto com um dos principais fatores aprofundando as desigualdades sociais no País.