quarta-feira, 10 de setembro de 2014

MST participa de mais uma edição da feira da Reforma Agrária de Sergipe

Esta acontecendo entre os dias 08 a 11 de setembro mais uma edição da feira da Reforma  Agrária de Sergipe, o evento acontece na praça Fausto Cardoso no centro da capital de Aracaju, essa feira que esta sendo promovida pelo centro comunitário de formação em agropecuária Don José Brandão de castro( CFAC) e INCRA. Dessa forma  Estabelece  um momento singular que tem como objetivo divulgar os produtos oriundos da Reforma Agrária, com isso mostrar para sociedade os alimentos produzidos nas áreas de Assentamentos e Acampamentos  como também valorizar a agricultura camponesa dentro do contexto da agricultura  familiar sem uso de agrotóxicos que garanta empregos no campo e a  manutenção da diversidade cultural, nesta feira,  as pessoas tem a oportunidade de levar para casa alimentos livres de venenos e que carrega a história do homem do campo na sua essência  que tem uma cultura muito maior que a do  agronegócio.
Essa feira nos dar a oportunidade de escoar nossa produção que muitas das vezes se depara nas mãos de atravessadores e é também uma forma de aproximar  os produtores agrícolas da sociedade. È uma tradição que vem acontecendo em todos os estados que o MST se faz presente,  aqui em Aracaju já virou costume e toda vez que acontece cria-se uma grande expectativa positiva  por conta da grande qualidade dos alimentos produzidos pelas famílias assentadas e acampadas que mostram a força do campo e da Reforma Agrária para toda a sociedade.  Relata Esmeraldo Leal da direção estadual do MST.  
Durante todos os dias as pessoas que visitar a feira vai ter a oportunidade de adquiri  produtos com alto nível de qualidade como: bolos, mel, macaxeira, beiju entre outros, como também animais de pequenos portes: galinha de capoeira, ovelhas e patos além do  belíssimo artesanato e apresentações de  artistas e grupos populares que durante todas as noites estarão se apresentando e animando todos num verdadeiro ritmo da cultura popular nordestina.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

MST/ SE Cerca de 800 Pessoas Participam da 20º Ediçãodo Grito dos Excluídos



No dia 07 de Setembro em que milhares de pessoas se reúnem na cidade de Aracaju para assistir o tradicional desfile cívico em comemoração ao dia da independência do Brasil, o MST juntamente com outras organizações sociais do campo e da cidade e centrais sindicais, participaram  da 20º edição do grito dos excluídos que nesse ano trás como Lema ¨ocupar as ruas e praças por liberdade e direitos¨. A concentração ocorreu na praça Fausto Cardoso apartir das 09hs da manhã no centro da capital Aracajuana, onde aconteceu um ato politico com falas de representantes das organizações presentes. Também ouve algumas apresentações culturais a exemplo do grupo de teatro Raízes do sertão que abordou a questão do plebiscito popular, tivemos ainda uma apresentação da batucada do levante popular da juventude e uma missa para celebrar esse grande ato.
Em seguida, os manifestantes saíram em caminhada e durante todo o percurso gritavam palavras de ordem e cobravam em discursos o fim da violência contra as mulheres, a democratização dos meios de comunicação, Reforma Agraria, um basta na criminalização dos movimentos sociais, uma Reforma politica por uma nova constituinte entre outras.
Diante da pauta de reivindicações, ouve uma atenção maior em relação a discursão do plebiscito popular por nova constituinte onde vem acontecendo de 01 a 07 de Setembro uma votação em todo o pais por meio de uma grande mobilização, acreditamos que a população diga SIM, e assim mostraremos o desejo de um novo sistema politico para todos brasileiros. 

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

MST Realiza formação de promotores Agroecológicos

Durante os dias 25 a 27 de agosto de 2014, vem acontecendo no centro formação Canudos mais uma etapa de formação de promotores agroecológicos tendo como publico participante assentados de diversas áreas de assentamentos do MST e técnicos com o intuito de promover a agroecologia no estado.
Segundo o técnico agrônomo Rabanal o objetivo dessas praticas é gerar autonomia na agricultura camponesa formando assentados que estejam disponíveis para compartilhar esses saberes dentro de um processo horizontal de aprendizagem camponesa.
Essa formação vem acontecendo em diferentes módulos onde no primeiro tratou-se especificamente da homeopatia do solo, essa segunda etapa a discussão se da na questão do manejo agroecológico do solo.  A  proposta é que aconteça até Fevereiro de 2015 mais 5 módulos todos direcionados no debate da agroecologia. Outro objetivo é que essas
formações socializem, construam e fortaleçam os conhecimentos técnicos e ferramentas da agroecologia para apoiar agricultura camponesa além de incentivar o  trabalho coletivo inserindo jovens e adultos entendendo que para fazer agroecologia, é necessário amor, cuidado e sabedoria que não vão estar nos livros didáticos,  destaca Marília, engenheira florestal.Nesse sentido, o MST com sua assistência técnica espera que essas pessoas se tornem, junto a esses conhecimentos, multiplicadores agroecológicos que possam contribuir para transformar e praticar a agroecologia em seus territórios.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Acampamento Valdir Macedo Inaugura Biblioteca Comunitária



No dia 14, quinta feira, no município de Cachoeira do Itanhy, na divisa de Sergipe com a Bahia, o acampamento Valdir Macedo inaugurou a sua Biblioteca Dona Maurina. O nome é em homenagem a uma grande lutadora  que dedicou sua vida a uma educação igualitária e as lutas sociais da região.
A iniciativa surgiu das próprias famílias por entenderem a importância da leitura no processo formativo/organizativo do MST e pela grande quantidade de jovens que hoje vivem no acampamento e nas comunidades vizinhas. Essa biblioteca tem por finalidades refletir o fortalecimento da luta do MST, em especial as famílias do acampamento destaca Fior da coordenação do acampamento. A  ideia dessa iniciativa, é entender que a educação se faz presente também na luta por terra, e temos que encarar isso como prioridade e compromisso em prol da luta relata Adailton da coordenação estadual do MST.

Para comemorar a iniciativa, diversas apresentações culturais foram organizadas para o dia: um coral juvenil do acampamento, grupos de capoeira, um leilão para ajudar  na manutenção da biblioteca, um ato político com entidades parceiras do MST e um almoço coletivo compartilhado com todos os presentes.  
No final do dia foi realizado um grande forro com o grupo pé de serra imburana de cheiro que animou toda companheirada.  

sexta-feira, 25 de julho de 2014

20.000 trabalhadores rurais do MST marcham por Reforma Agrária em Aracaju


Nesta sexta-feira (25\07), cerca de 20 000 trabalhadores e trabalhadoras rurais Sem Terra  pintaram de vermelho as ruas da capital Aracaju, realizando uma gigantesca Marcha comemorando o Dia do trabalhador rural e cobrando a Reforma Agrária Popular no Brasil.
 
A 12ª Marcha estadual teve como objetivo pautar a Reforma Agrária na sociedade, denunciar o avanço do agronegócio e cobrar das autoridades a implantação de políticas públicas e investimentos que fortaleçam a agricultura familiar. Segundo Gislene Reis, da direção do MST em Sergipe, o MST também cobra do Governo do Estado agilidade no processo de aquisição de terras destinadas a assentar as mais de 10.000 famílias acampadas no estado, algumas esperando há mais de quinze anos debaixo da lona preta, como as 220 famílias do acampamento Zumbi dos Palmares, na região metropolitana do estado.

“Há onze anos que os assentados e acampados do MST, provindos de todo o estado, se unem  nesta Marcha. Este ato é um momento importante de diálogo com a sociedade”, disse Esmeraldo Leal, da direção estadual do MST. Segundo o dirigente, a Marcha tem um caráter especial neste ano de eleições: “Hoje, o povo está demonstrando na rua que ele não quer mais este Congresso nacional dominado pelo agronegócio e a bancada ruralista, mas quer um Congresso mais justo, representando os interesses da classe trabalhadora.” Neste sentido, o MST participará neste sábado (26\07), junto com vários movimentos sociais, do “curso dos 1000” visando a preparar a campanha pelo Plebiscito popular a favor de uma Reforma Política.


A mobilização  iniciou entorno das 10 horas num trecho da BR 101 situado a dez quilômetros do centro da capital. Gritando palavras de ordem e cantando músicas populares, os manifestantes marcharam até a praça da Cruz Vermelha, onde realizaram um almoço coletivo, seguido por um ato político a favor da Reforma Agrária. João Pedro Stedile, da coordenação nacional do MST, reafirmou a necessidade de uma Reforma Agrária Popular e denunciou o agronegócio como o grande inimigo dos camponeses. O governador do estado de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB) participou ao ato e reafirmou seu apoio à Reforma Agrária. A Marcha seguiu depois até a praça General Valadão, no centro de Aracaju.

A Marcha contou com a participação de vários movimentos populares e personalidades políticas. Ao longo do percurso, a juventude do MST realizou várias intervenções chamando a atenção da população para a importância da Reforma Agrária.

4ª ENCONTRO ESTADUAL DA JUVENTUDE DO MST



 Reunidos de 22 a 24 de julho de 2014 no centro de capacitação Canudos,  jovens do MST de áreas de assentamentos e acampamentos de  Sergipe vem debatendo o papel e organicidade da juventude dentro do contexto e entendimento da Reforma Agrária popular, durante o encontro os jovens vem tendo a oportunidade de se deparar com vários temas em discussão entre eles um contexto histórico e análise de conjuntura da juventude, situação da juventude da classe trabalhadora, gênero e LGBT, agitação e propaganda na qual tem sido  trabalhada varias oficinas como batucada, grafitagem, faixas e cartazes. A proposta é que os jovens logo após o final do encontro possam no dia seguinte participar da mobilização do 25 de julho dia do trabalhador Rural onde fazemos tudo ano uma grande marchar que reúne a militância de todo o estado, e no dia 26 participaram do curso dos 1000 do plebiscito popular por uma Reforma política que terá  como palestrante João Pedro Stédile da direção nacional do MST e acontecerá na Universidade Federal de Sergipe (UFS).